Quem pode candidatar-se:

Podem candidatar-se aos ciclos de estudo de licenciaturas (graduação) todos os estudantes que não tenham a nacionalidade portuguesa e que:

  • não sejam nacionais de um Estado membro da União Europeia;
  • não residam legalmente em Portugal há mais de dois anos, de forma ininterrupta, em 31 de agosto do ano em que pretendem ingressar no ensino superior;
  • não se encontrem a frequentar uma instituição de ensino superior portuguesa no âmbito de um programa de mobilidade internacional.
Condições de ingresso:

São admitidos a concurso os estudantes internacionais que, cumulativamente, reúnam as seguintes condições de ingresso:

  • Sejam titulares de uma qualificação que dê acesso ao ensino superior, entendida como qualquer diploma ou certificado emitido por uma autoridade competente, que ateste a aprovação num programa de ensino e lhes confira o direito de se candidatar e poder ingressar no ensino superior no país em que foi conferido;
  • Demonstrem qualificação académica específica para ingresso no ciclo de estudos a que se candidatam, de acordo com o Despacho de abertura de candidaturas do estudante Internacional do Instituto Politécnico de Castelo Branco;
  • Tenham um nível de conhecimento da língua Portuguesa (nível B2) comprovado documentalmente, ou se comprometam a atingi-lo no IPCB durante a frequência do curso. Os candidatos que tenham frequentado o ensino secundário em língua portuguesa, ou que sejam provenientes de países de língua oficial portuguesa, estão dispensados de apresentar comprovativo.
  • Satisfaçam os pré-requisitos, se exigidos para a instituição e curso a que concorrem (Ver o Despacho de abertura de candidaturas do estudante Internacional do Instituto Politécnico de Castelo Branco);
Candidaturas

A candidatura é realizada online através do Portal de Candidaturas  https://academicos.ipcb.pt/cssnet/page

O primeiro passo é fazer um registo. Irá receber um e-mail automático com os dados de acesso para a confirmação do registo.

Documentos a apresentar no ato da candidatura
  • Cópia do documento nacional de identificação ou passaporte válido emitido pelas autoridades do país de origem;
  • Documento comprovativo das habilitações exigidas, com indicação das disciplinas efetuadas e respetivas classificações. Quando chegar a Castelo Branco terá que entregar os originais dos documentos enviados em suporte digital, e que instruem a candidatura.
  • Declaração de Estudante Internacional  e de que está na posse dos pré-requisitos  caso sejam exigidos para o curso que pretende;
  • Comprovativo de conhecimento da língua portuguesa se aplicável ou declaração de compromisso que irão frequentar um curso de língua portuguesa no IPCB. Os estudantes que tenham frequentado o ensino secundário na língua portuguesa não precisam de apresentar este comprovativo.

No final da candidatura, ser-lhe-á pedido que efetue o pagamento dos emolumentos de candidatura (35€). Verifique nesta página de que forma pode ser feito o referido pagamento.

Os estudantes que ingressem no ensino superior ao abrigo do regime do estudante internacional mantêm a qualidade de estudante internacional até ao final do ciclo de estudos.

Se tiver dúvidas, pode consultar Manual de Candidatura ou contactar: academicos@ipcb.pt

Para mais informações consulta o Regulamento de Estudante Internacional do IPCB

Exames estrangeiros de acesso considerados para efeitos de candidatura

Brasil: diploma do Ensino Médio e ENEM (Exame Nacional de Ensino Médio), obtido nos últimos 3 anos. São utilizadas as classificações dos exames que têm pesos diferentes para cada curso, como pode ser consultado no despacho de abertura de candidatura.

A nota mínima de candidatura, em cada uma das provas, para os cursos de graduação é de 95 valores na escala portuguesa de 0-200, que equivale a 475 na escala do ENEM.

Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe: condições locais exigidas em cada um destes países para acesso ao ensino superior (estudos secundários completos). São utilizadas as classificações dos exames, obtidos nos últimos 3 anos, de acordo com as provas de ingresso definidas no despacho de abertura de candidatura.

Em todas as outras situações, o candidato deve realizar as provas de ingresso portuguesas, como aluno autoproposto, ou realizar no IPCB as provas equivalentes às provas de ingresso portuguesas para o curso a que se candidata (ver no despacho de abertura de candidatura).

Para todas as situações, as classificações usadas para a candidatura são as obtidas no ano civil em que se candidata ou nos dois anos civis anteriores ao da candidatura.